quinta-feira, 30 de maio de 2013

Alma

A alma é invisível
um anjo é invisível
o vento é invisível
o pensamento é invisível
e no entanto
com delicadeza
se pode enxergar a alma
se pode adivinhar o anjo
se pode sentir o vento
se pode mudar o mundo com alguns
pensamentos…

Roseana Murray in "Cancioneiro"





quarta-feira, 29 de maio de 2013

Pequenas poesias diárias

A vida provoca os meus sentidos
Tenho sensações
Através do que e como sinto
Provoco sensações
É tudo uma questão de sentir...
Quando digo a vida, me refiro à poesia da vida. E a poesia da vida está em tudo aquilo que toca a alma. Pode estar nas pessoas, nas flores, nos lugares, no mar, no pôr-do-sol, na luz da lua, nas palavras que são ditas e até mesmo nas que não são.
A poesia da vida pode estar num olhar, num bombom de chocolate, nas gotas de chuva, numa taça de vinho, num papel de bala dentro do caderno, nas fotografias desbotadas, num bilhetinho em um mero papel de pão, num álbum de figurinhas que não se completa nunca.
Na intensidade da alegria e da tristeza, nos choros e sorrisos largos, nos abraços inteiros, na música, nas lições da natureza, nas noites em claro, nos dias escuros e nos raios do sol.
A poesia da vida está na amizade, no amor, no sexo, no aprendizado, nos segredos, nas gentilezas, na sede de viver, nos encontros e desencontros cotidianos, na despedida, nos afetos e desafetos, nos carinhos, na simplicidade.
Em coisas que para alguns podem ser insignificantes,
despercebidas, desimportantes,
mas que tocam tão profundamente o coração de tantos outros
e ganham uma extensão imensurável na alma,
mexem com cada centímetro da emoção,
fazem suspirar,
arrepiam por dentro.
Aí que está a poesia, naquilo que toca a alma, no arrepio da alma.
[É tudo uma questão de sentir...]

Pérola Anjos




























terça-feira, 28 de maio de 2013

Antes da chuva


'Falamos em ler e pensamos apenas nos livros, nos textos escritos. O senso comum diz que lemos apenas palavras. Mas a ideia de leitura aplica-se a um vasto universo. Nós lemos emoções nos rostos, lemos os sinais climáticos nas nuvens, lemos o chão, lemos o mundo, lemos a vida. Tudo pode ser página. Depende apenas da intenção de descoberta do nosso olhar. Queixamo-nos de que as pessoas não leem livros. Mas o déficit de leitura é muito mais amplo. Não sabemos ler o mundo, não sabemos ler os outros.'
Mia Couto, In 'Ensaios'












segunda-feira, 27 de maio de 2013

Imagens de uma segunda-feira


“Porque a força de dentro é maior”.
Maior que todos os ventos contrários
Caio Fernando de Abreu